Afinal, o Que é Ética?

"A ética é daquelas coisas que todo mundo sabe o que são, mas que não são fáceis de explicar, quando alguém pergunta".(VALLS, Álvaro L.M. O que é ética. 7a edição Ed.Brasiliense, 1993, p.7)
Segundo o Dicionário Aurélio Buarque de Holanda, ÉTICA é "o estudo dos juízos de apreciação que se referem à conduta humana susceptível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente à determinada
sociedade, seja de modo absoluto".
Alguns diferenciam ética e moral de vários modos:
1. Ética é princípio, moral são aspectos de condutas específicas;
2. Ética é permanente, moral é temporal;
3. Ética é universal, moral é
cultural;
4. Ética é regra, moral é conduta da regra;
5. Ética é teoria, moral é prática.
Etimologicamente falando, ética vem do grego "ethos", e tem seu correlato no latim "morale", com o mesmo significado: Conduta, ou relativo aos costumes. Podemos concluir que etimologicamente ética e moral são palavras sinônimas.
Vários pensadores em diferentes épocas abordaram especificamente assuntos sobre a ÉTICA: Os pré-socráticos, Aristóteles, os Estóicos, os pensadores Cristãos (Patrísticos, escolásticos e nominalistas), Kant, Espinoza, Nietzsche, Paul Tillich etc.

Custodinho

Uma crônica que li recentemente no livro Hitórias Sobre Ética foi Custódinho, que se passa em uma época conturbana na política brasileira, onde Sr. Custódio, recente político, tem seu filho e chama o mineiro seu amigo, para ser seu compadre, padrinho do seu filho. A princípio seu filho seria batizado com o nome Custódio Junior, mas seu padrinho teve que viajar para Minas e adiar o batizado. Depois de um bom tempo ele volta e finalmente Custodinho seria batizado, entre esse intervalo de tempo o ídolo de Custódio chamado Custódio também, que era um grande político, morre. Então na hora do batizado quando seu compadre mineiro responde que o nome do menino seria Custódio como o combinado, Sr. custódio interfere falando que o nome do menino agora será Floriano.

É um boa história que mexeu muito comigo, o personagem principal, o Sr. Custódio, no ultimo segundo muda de idéia, pois Floriano Peixoto era outro político muito importante na época e acho que ele mudou porque justamente seu ídolo Custódio teria morrido, não sei ao certo. Mas a coisa anti-ética que eu vi nessa história, foi que Sr. Custódio era facinado no político Custódio, pois ele tbm tinha se envolvido na politica. No final ele acaba colocando ao filho de no de Floriano que justamente era um dos rivais de Custódio. Isso quer dizer que ele não tinha uma posição ao certo, não era digno de escolhas pois mudou de idéia muito rápido.

Bullying


Onde já se viu alguém ou um grupo de pessoas se juntarem para espancar, xingar, ou fazer gozação de outro alguém. Essas atitudes surgiram no Estados Unidos e se alastrou até chegar ao Brasil. Vi uma reportagem numa revista um tempo atras sobre isso. Contava a estória de um menino que teve a mão perfurada, e o rosto esfregado no chão, que chegou em casa vomitando por causa dos socos levados pelos "colegas" de sua sala. De começo a mãe do garoto reclamou para a direção a escola, então a diretora disse: " isso é coisa de criança" . Cadê a ética das escolas? Isso eu gostaria mesmo de saber. Coisas como essa estam cada vez mais comum e as vezes passam despercebidas... ÉTICA E RESPEITO PRA TODOS!

Lima Barreto



Hoje em dia nós vemos o quanto coisas valiosas são deixadas de lado para dar lugar as coisas materiais, e isso se confirma muito na história satírica , "A nova Califórnia de Lima Barreto". Onde é relatado o ridículo do comportamento social, em que a população de uma cidade do interior do Rio de Janeiro descobre que um morador inventou uma forma de conseguir ouro através de cadáveres, assim eles começam uma verdadeira “corrida pelo ouro”, como aconteceu nos Estados Unidos. O autor monta um cenário em que, além da crítica universal ao comportamento humano, ressalta a pobreza de imaginação e falta de criatividade. Com isso os moradores de Tubiacanga deixam o desejo de ter muito dinheiro passar por cima de laços familiares e de qualquer outra coisa, que na prática são muito mais importantes, mas naquele momento parece não ter efeito nenhum, pois no fim da história o autor relata que o tumulto termina em baderna, agressão e mortes. O único a escapar do ridículo da situação é o bêbado de Tubiacanga que, embriagado com o álcool, não se dá conta ou não quer se envolver em algo tão mesquinho e fortemente material. O farmacêutico foge sem revelar o segredo de se transformar ossos em ouro. Essa história nos mostra o quanto as pessoas vão baixo para conseguir o que querem, capazes de esquecer de amigos, familiares,de seus princípios...
A história a primeira vista pode parecer sem nexo, sem noção alguma, mas quando lida com atenção chega a se tornar engraçada em algumas partes, pois é tão mesquinho a forma das pessoas correrem atrás do ouro , que a gente não tem outra reação a não ser rir de uma situação que na verdade causa repúdio, e o texto tem uma linguagem de fácil entendimento.

Voltaire





Esses dias eu estava lendo uma das Crônicas de Voltaire e percebi o quando ele foi sábio ao escreve-la. "A dança" uma das coisas mais inteligentes eu já li. Ele conta de um rei que queria escolher outra pessoa para substituir o tesoureiro de seu reino, pois todos que eram contratados roubavam e ele queria uma pessoa honesta, lógico né? então ele pediu ajuda a Zadig, um homem que veio por acaso a sua ilha. Falou para todos os candidatos dançarem. No começo o rei achou que Zadig estava zombando dele, mais depois que descobriu para qeu serviria essa misteriosa dança ele adorou. os candidatos a tesoureiro astes se entrarem ao salão principal, passava por uma sala escura onde estava todos os tesouros do rei, e depois quem dançasse mais levemente seria o contratado, de todos, apenas um dançava de tal jeito, pois os outros mal de mexiam, pois haviam roubado algumas riquezas do rei e enxido os bolso, assim não podia dança direito.
*O autor françes viveu numa época onde a ingreja católica ainda exercia forte controle na sociedade civil, e foi um critico do catolicismo e de outras instituições francesas que exerciam controle moral.

Essa crônica me serviu muito como exemplo, apesar de ser escrita a muito tempo atras, eu ainda vejo essas coisas anti- éticas acontecerem atualmente.

Álvaro Cardoso Gomes


Nesta tarde de domingo, estava lendo ''Paloma'' de Álvaro Cardoso Gomes, uma carta muito interessante, mostrando arrependimento pelo crime que cometeu contra uma pessoa que sempre lhe fazia mal, na carta que manda diz como é difícil a vida num presidio, como tem pessoas que mandam lá dentro, sendo corrompidos pelos presos.
O texto é um apelo a mãe que ela acredite que Paloma era uma pessoa boa, e como ele quer ser transferido pedindo para que sua mae pessa ajuda ao seu tio, ele fala como sua mãe foi importante pra ele e que mesmo com o amor, o carinho, e a dedicação ele tomou o pior rumo, acabou se envolvendo com pessoas de carater duvidoso.
Compreendi nesse texto, uma falta de ética total do ser humano, e como isso passa de pessoa para pessoa, um que lhe faz mal, você acaba descontando em outros, para ''esfriar a cabeça'' , no caso do livro ele mata uma pessoa, a falta de ética dos carcereiros e chefes do presidio que são hoje facilmente corrompidos. Tão ingratos com a população que sofre com os crimes e tende a aceitar isso, porque já se tornou natural este tipo de ato, crianças aprendem cedo a fazer este tipo de coisa e mães chatas acabam sendo as boas idealizadoras pra um futuro prospero do filho, para que não aceite suborno, e que seja sempre ÉTICO.

Machado de Assis


Em casa, estava lendo o conto ''conto de escola'' de Machado de Assis, e reparei como o tempo passa e tentei distingüir esses distintos tempos de escola. No conto relata como as crianças eram e tinham a ética em si desde pequenos, como deviam se portar no colégio, sempre prestando atenção as aulas sem desdenho, como se fosse a lição mais importante daquele dia, pois aqueles que não sabia o que foi dito na aula era castigado, ajoelhando no milho, tomando palmatorias e etc. Hoje reparo como temos liberdade e nao sabemos aproveita-la, não sabemos dizer o que é ético e o que não é dentro de uma sala de aula, em sua maioria sem total interesse e sem medo de ser levado a direção por desrespeitar o professor, pois nao há mais a temida palmatória, que as vezes vejo como ela seria útil para um melhor desempenho dos alunos atualmente.
No conto mostra um menino pobre que não tem uma vida muito confortável, com suas notas rasoavéis, vai sendo o sufiente para o filho do professor que já havia reprovado o pagasse para que lhe ensinasse a matéria, pra ele foi pago uma moeda de prata se explicasse o conteúdo, mesmo com a maior delicadeza, o professor vê, e toma a moedinha de prata do menino e diz como é feio subornar uma pessoa pra que ela te ensine algo, que é sempre ético uma pessoa fazer sem pensar em recompensa, logo os dois recebem o castigo de 12 palmatórias para que aprendam que é necessário o companherismo sem o pagamento por uma simples explicação. Já hoje ninguém faz nada sem pensar em dinheiro primeiro, a fraternidade não existe mais, e a ética vai virando uma palavra sem valor e sem signifcado ao passas dos anos.

Guido Fidelis


Estava numa noite lendo o conto "Conversa de comadres à espera da morte" de Guido Fidelis, e notei como as pessoas nâo tem muito o que fazer, a não ser fofocar. Fofoca e totalmente anti-ético, com sempre é dito se não gostas que fales de ti, não fale dos outros. Mulheres e homens deveriam pensar um pouco mais na sua vida, no seu futuro, e em sua família.
No conto, vizinhas conversam sobre uma senhora prestes a morrer, mas do que pensarem em rezar e melhorar a situação da pobre mulher, ficam tentando faze-la morrer mais rapido, fazendo rituais para sua alma ir mais depressa e sem sofrimento, e ainda dividir o dinheiro e os bens da idosa para enterro e o que sobrar fica para elas, pois sabem de sua vida inteira, como não ter filhos e ser viúva, ainda mais anti-ético é 'roubar' o dinheiro com fins lucrativos para si.
Concluí, que sabio é aquele que permanesse calado com os segredos e sempre é calteloso ao conta-los, do que aquele que conta para se sentir com mais moral e estar sempre no grupos para sempre saber o que acontece na vida dos outros. Pessoas que se sentem felizes em contar os problemas alheios nunca tendem a subir ou encontrar oportunidades na vida, pois do que se empenhar para ter um futuro promissor, prefere uma vida sofrida com problemas e dividas, mas sempre fofocando.

Lygia Fagundes Telles







Lygia Fagundes Telles:


" O comum e o avesso da vida"


Sensível e profunda mostra sempre várias facetas do ser humano.


Ao ler "Antes do baile verde", Lygia Fagundes Telles, faz uma radiografia moral do egoísmo e da mesquinharia humana. De um lado, o pai enfermo, do outro, a filha que só pensa em si. Na incapacidade de assumir suas falhas, culpa outros fatores. Percebe-se uma nítida preocupação em tentar se justificar de tudo não só para a empregada como também para si.

Nesta história, uma jovem se prepara animada para o grande baile a fantasia de sua cidade, em que todos devem comparecer vestidos com roupas verdes. No quarto ao lado, seu pai doente agoniza em seus últimos minutos de vida. A jovem, movida pela vontade egoísta de se divertir num simples baile ao invés de assumir a responsabilidade inconveniente de cuidar do pai, inventa a todo momento as maiores desculpas para si mesma.
Acima, um desenho sobre essa obra que me encantou tanto.




Moacyr Scliar

Moacyr Scliar

“A realidade com muita fantasia”.

Moacyr Scliar é um homem versátil, que escreve livros para jovens e adultos e mistura sérias críticas sociais com magia e fantasia, e lembranças de sua infância que fizeram parte de sua história, que sempre tem um desfeche final surpreendente. Em sua obra são freqüentes questões de identidade judaica e do mundo da mídia.

"O dia em que matamos James Cagney", faz fecharmos os olhos para imaginar cada cena, cada personagem, que Moacyr Scliar descreve, o que particularmente acho incrível!
James Cagney "o mocinho" que não dava em nimguém, muito que ao contrário, sempre que encontrava o bandido Sam, levava uma surra de quebrar os ossos. Os jovens rapazes que fazem com que vivenciamos junto deles o que assistem na tela do cinema, mas James depois de um período de tempo do filme, de tanto apanhar e já estarmos o praticamente abandonando, resolve ter uma reação. Scliar mostra que queremos uma troca de papéis entre o bandido e o mocinho.
E que as vezes nem sempre torcemos para o bem ou porque queremos uma certa vingança.

Até quando?




Cassações por corrupção eleitoral no país subiram 320% em 8 anos

Vemos muito em qualquer lugar que olhamos sobre a corrupção, políticos que roubam dinheiro do povo, desvio de verbas públicas, policiais que se vendem por qualquer dinheirinho para não prenderem ladrões e todas essas coisas que já sabemos...
Chegamos a uma conclusão que o dinheiro, hoje em dia, é mais forte do que qualquer ensino de bom caráter e de honestidade, pois toda uma vida correta é desviada quando é comprada pelo dinheiro. O nosso país é campeão nisso, pois não tem um santo dia que não ligamos a televisão e não vejamos coisas desonestas em nosso governo e o pior de tudo isso é que sempre acaba em NADA, nunca ninguém é culpado, nem vão para a cadeia, muito menos o dinheiro roubado é devolvido. Realmente isso é indignante! Essa tira acima retrata muito bem o que ocorre nas eleições, onde a ética, a boa índole, o caráter nunca são bem vindos e nunca entram no pareo.
Quando vi a manchete que é citada no começo, fiquei sem palavras para expressar o que eu sentia.
A gente vê tudo isso acontecendo e não faz nada? Até quando vamos ficar de braços cruzados vendo tudo desabar? É o que me pregunto... Cadê esse povo forte que quando quer algo vai até o fim para atingir seus objetivos? É triste ver tantas pessoas no país passando necessidades e a gente sabendo que tem muitos se beneficiando em nossas custas, enquanto eles estão em mansões, viajando de avião, comendo do bom e do melhor, outros passam fome, mendigam nas ruas, morrem de frio, vêem seus filhos sofrendo... Isso vai durar até quando? Mais não podemos acusar apenas os políticos, pois o governo é o reflexo de seu povo! Não são só eles que são corruptos e falsos, a população também é assim, do minimo ato de furar uma fila até de se vender em troca de algo é desvio de caráter. É que em nossas mentes apenas os atos maiores é que são considerados inadmissíveis, MAS NÃO! Só o fato de estarmos de comum acordo em ver tudo o que ocorre de errado na administração do país e não fazer absolutamente NADA para reverter essas situação, passamos de vitimas à coniventes da corrupção! Vamos abrir mão de nosso comodismo e fazer algo em prol de nós mesmos.

Lourenço Diaféria





Há algum tempo tinha lido , Os gatos pardos da noite, de Lourenço Diaféria , nela se fala do quanto agente se importa com pequenas coisas , e o quanto descartamos a grande importância a o que deveríamos dar , a aquilo que realmente merece ênfase , também o quanto discriminamos as pessoas , ou coisas pela sua aparência e a nossa ignorância diante de fatos óbvios .

Na crônica a policia ao chegar à noite, procura por um ladrão, que desconfiam morar em um barraco humilde, que para eles, parecia muito suspeito, nele morava-se um homem, uma mulher de 19 anos (Maria do Rosário) e o filho deles, policiais, cercam o barraco, invadem e também da um tiro de bala de chumbo, ao ver o homem, descobrem que ele não é o ladrão tão procurado, pois o homem diretamente ao ser algemado , mostra sua carteira de trabalho , e ao final se vê a mulher aos prantos , ao lado do berço da criança de 1 ano e 6 meses , que levou um tiro na cabeça , os policiais ali presentes , até pensam na hipótese de pedirem perdão , mais pra quê ? , afinal que cirurgião ou médico, nunca cortou a perna errada? . E ao chegar à casa de um dos policiais, o mesmo vê que seu cabelo está a cair, e quase “morre” de desespero ao descobrir isso.

Conclui que com esse tipo de texto , agente vê e reconhece que hoje em dia isso realmente acontece , damos muita importância a coisas desnecessárias, e acabamos esquecendo-se do que realmente importa, pessoas matam umas as outras, ignoram completamente a vida de um ser humano, violência continua sempre, a descriminação apenas pela aparência das coisas ou pessoas , e o quanto somos ignorantes e incapazes de pedir perdão ou nos arrepender dos nossos erros , estamos vivendo em um mundo , medíocre , fútil e banal.

“FALTA AMOR AO PRÓXIMO”

La Fontaine


Alguns dias atrás eu li uma das fábulas de La Fontaine (O lobo e o cordeiro), e refleti sobre seus significados.
Quando somos crianças acreditamos em “final feliz” e que o “bem sempre vence a o mau”, mas hoje em dia percebemos que esses sonhos infantis estão cada vez mais distantes, a cada dia vemos mais desastres, mortes, problemas sociais, pobreza,fome e tudo aquilo já estamos fartos de saber.
Essa fábula, me chamou muito atenção, pois ela retrata o que vivemos nos dias atuais, onde o mal tenta ser superior a todo custo, usando de suas artimanhas malignas contra pessoas de boa índole.
O mal nessa fábula é representado pelo lobo, que se enfeza ao ver o cordeiro (que representa o bem), bebendo de “sua” água, ele vai tirar satisfações com o cordeirinho, mas ele explica o que estava ocorrendo, dizendo que ele bebia a água do riacho abaixo de onde o Sr. Lobo se encontrava, sendo assim não poderia estar contaminando a água que ele bebera, como o lobo viu que ficou sem argumentos começou a inventar fatos que não tinha como ter ocorrido, mas mesmo assim ele reforçava a idéia de estar enfezado com o pobre cordeiro, dizendo que no ano passado ouvira falar que o cordeiro havia dito mal dele, em contra partida o cordeiro lhe diz que no ano passado ele nem era nascido, então o lobo fala que deveria ser o irmão, o tio ou até mesmo os avós do cordeiro, que o mesmo em resposta diz ser filho único, o lobo ficou pensativo e não quis mais saber de argumentos, ali mesmo no riacho agarrou o cordeiro com seus dentes e o devorou.
Então, percebemos que o mal não quer saber das razões de alguém que ele julga ser mais fraco que ele, assim criando um cenário em que o bem fica acuado e não tem escapatórias. Com essa história tirei duas conclusões. A primeira foi que a razão do mais forte sempre acaba prevalecendo naqueles que não conseguem ter poder sobre eles. A segunda foi que quando não temos forças de lutar contra aquilo que achamos que é impossível de vencer, que parece muito mais forte acabamos sendo devorados sem ao menos tentar se impor nas dificuldades.

Katherine Mansfield



Ao ler uma crônica (A casa de Bonecas) de Katherine Mansfield, percebi que no mundo de hoje, somos encaixados em núcleos, os dos pobres ou dos ricos, nos mostrando assim a oposição entre os mesmos. Dividimos-nos hoje em dia apenas pelas classes sociais. Na crônica mostra-se de forma clara como nos tratamos hoje em dia, os personagens são diferenciados pela ida ou não, a casa de bonecas, sabendo-se assim que apenas pessoas de elite entrariam nela. Em meu entendimento a casa, não era apenas uma mera e boba casinha de bonecas, mais era a diferença entre os dois mundos, por ser a realidade encontrada, e retratando perfeitamente o mundo dos ricos, ela dá sinais, de que mesmo os dois mundos serem separados pelas suas diferenças, se mantém sempre interligados, apesar de que pareça que estamos separados, só pela diferença de classes sociais, porém estamos todos sempre no mesmo lugar, separados, apenas por uma barreira invisível aos nossos olhos, e fortemente presente por nossas classes. E o famoso lampião do qual tanto se fala na crônica, simboliza com total clareza, não a diferença, mas a "linha frágil" nas semelhanças existentes entre a classe rica ou a classe pobre. Em virtude do que foi lido, percebi a quão importância damos as diferenças entre os nossos "bolsos”, e que às vezes por sermos um pouco melhor financeiramente que os outros , nos achamos no direito de distingüilos como inúteis e incapazes de ser alguém melhor do que fora agora na vida, em minha opinião, diferença de condições, apenas existe por que queremos, e não por sermos melhores ou piores do que os outros, é que significa sermos mais capacidades, mas sim, que tivemos mais oportunidades oferecidas.

Só de Sacanagem-Elisa Lucinda

Interpretado por Ana Carolina antes de começar um de seus shows.
Composição de Elisa Lucinda.


video
obs. A composição "Só de Sacanagem" de Elisa Lucinda ,
está disponível nos comentários deste mesmo post.

Faça sua escolha

video

Você pode fazer o mal ou o bem.
Depende da sua consciência .
Ou melhor da sua noção de ética.

ÉTICA quem tem, TEM!

video

.Charge



Adorado leitor, encontrei essa charge, e vi o quanto ela tem lógica e explica de forma engraçada a ética. Explicação sobre a charge: A professora na charge pede ao seu aluno, que se dirija ao quadro, e o mesmo escreve a palavra ética, mais ao ver que não há giz, mostra-se que "alguém" com a falta senso ético , o pegou , sabendo-se assim, que não há como se escrever como se foi pedido. Ética não é apenas moral e senso critico para descobrir o que é certo ou errado, ou o que é o bem e o mal, mas também , a coragem de assumirmos que estamos em um caminho , as vezes não tão bom quanto esperávamos que seria, mais que nos encontramos nele , por sermos incapazes de colocarmos nosso senso ético , em prática.

.Explicação sobre a ética



Querido amigo leitor, para mim a ética, é um termo genérico, que descreve moral. Em termos filosóficos um comportamento ético é aquele que se é considerado bom, e sobre a bondade, diante de vista da sociedade da qual nos encontramos. Eu como ninguém digo que todos nós homens ou mulheres passamos, por momentos de escolha, das quais , temos que saber distinguir com seriedade entre o certo e o errado , entre o que achamos que é o bem e o mal , e na maior parte de nossas vidas descobrimos o quanto é complicado ,vermos a “olho nu” em qual caminho devemos andar , e muitas vezes nos encontramos nos fazendo a seguinte pergunta: será que deve ser naquele que se parece mais certo e curto , tendo que na maioria das vezes , é o caminho errado? , ou aquele mais complicado, e longo, mais que é o certo? Atos como o de matar, furtar e enganar em certos países são analisados e vistos como certos, já em outros, a conseqüência é grande por considerarem o direito a vida inviolável, sabendo-se assim, que comportamentos tidos desta forma, violam o que se considera ética.
Milhares de vezes nos deparamos com situações das quais temos que exercer nosso senso ético, o de ver se aquilo é correto ou não , e se estamos ou não fazendo tudo de acordo com o que é aprendido em casa , na rua e na escola , pois são nesses e outros , que aprendemos mais sobre a ética e como colocá-la em pratica na nossa vida . Recomendo que para aqueles que se interessam, pelo mesmo, leiam o livro Histórias sobre Ética, do qual, nele se fala exatamente sobre isso , crônicas interessantíssimas nos mostram com uma linguagem simples e diferente , ao certo o que é ética , eu li e recomendo . ADOREI ! pra todos um beijo ;* e espero que gostem.